Evento discute formas de combate ao assédio e à discriminação no Poder Judiciário

0
50

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) promove, no próximo dia 16 de fevereiro, o Seminário de Combate ao Assédio e à Discriminação no Poder Judiciário. O evento é destinado a juízes, servidores, colaboradores, estagiários e integrantes do sistema de Justiça, mas também é aberto ao público em geral. Não há necessidade de inscrição, basta acessar o canal do CNJ no Youtube.

Na oportunidade, serão debatidos temas relevantes a respeito das ações do Judiciário para o enfrentamento de tais práticas. A palestra magna de abertura será proferida pelo ministro Reynaldo da Fonseca, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Na programação estão previstas a divulgação dos dados da pesquisa sobre assédio e discriminação, realizada no segundo semestre de 2021, e a assinatura da Carta contr​a o assédio, importante documento para selar o compromisso do CNJ e dos tribunais para o cumprimento da Resolução n. 351/2020.

Programação completa:

9h – Abertura: conselheira Tânia Reckziegel (CNJ) e desembargador Leandro Crispim (presidente do TREGO)

​09h15min – Palestra magna de abertura ministro Reynaldo da Fonseca (STJ)

10h – Painel 1 – A evolução dos conceitos e das práticas de enfrentamento ao assédio e à discriminação na Justiça brasileira. Presidente da mesa: Mariana Aquino (juíza federal da Justiça Militar da União); painelistas Renata Gil (presidente da AMB), Rodrigo Foureaux (juiz de direito do TJGO) e Alexandre Correia da Cruz (desembargador no TRT4/RS)

10h45min – Painel 2 – O papel das ouvidorias no enfrentamento ao assédio e à discriminação. Presidente da mesa: conselheira Tânia Reckziegel (CNJ); painelistas Gabriela Manssur (promotora de Justiça do MPSP), Moura Ribeiro (ministro do STJ) e Márcio Moraes (juiz do TRE/GO)

11h30min – Assinatura da Carta contra o assédio

11h45min – Apresentação dos dados da pesquisa sobre assédio realizada em 2020, por Ana Aguiar (juíza federal do TRF4 e supervisora do Departamento de Pesquisas Judiciárias – DPJ/ CNJ); e Gabriela Soares (diretora do Departamento de Pesquisas Judiciárias – DPJ/CNJ)

12h30min – Encerramento com a conselheira Tânia Reckzie (CNJ)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui